OFRN, um papo reto com Marcello Viktor. 20/08/2020

Old Family Red Nose – Red Nose Dogs – Lightner Dogs
por Marcello Viktor

Sou mais um daqueles que se tornou admirador desses “cães vermelhos”, o primeiro APBT que conheci em 1994 foi um tigrado (fêmea chamada Tigra) e um preto (macho chamado Amuck), mas logo em seguida conheci alguns cães Red Nose, e foi paixão à primeira vista. Em 1997 conheci o trabalho do Cesar Pimenta, baseado nos cães de Dan Gibson (Flórida – USA). Ele me passou alguns pedigrees e uns textos de Mullins e Richard Stratton, mas tudo aquilo ainda não saciou o desejo de aprender mais sobre esses cães, e na época me faltava maturidade para entender muitas coisas que pretendo escrever nesse artigo e ajudar principalmente os novos apaixonados por esses cães. Então vamos lá…

Quando falamos sobre OFRN, para muitos, parece ser outra raça de cães, mas todos esquecem que estamos falando do American Pit Bull Terrier, sim os Pit Dogs ou Buulddogs como preferir. Antes de pertencer a qualquer família genética, esses cães devem ser encontrados na honra da seleção dos APBT. Outra coisa que preciso mencionar antes de falar sobre os OFRN, é que: em NENHUM lugar na história, vamos encontrar esses cães sendo selecionados POR COR, em nenhum artigo, publicação, propaganda ou um simples testemunho histórico.

Sim, os OFRN são cães basicamente descendentes do trabalho de homens como R. F. Bob Wallace, Robert H. Hemphill Jr, William J. Lightner, entre outros tão importante quanto estes, como: Jim Williams, D. A. McClintock, Dan McCoy, Owens, Harvey, Dave Ferguson, Ferrel, Conklin, Anderson, Bourgeois, Dean Plemmons, Dickinson, Art Limbeck, Hanson, Moon, Roberts, Leo Kinard, George Saddler, J. A. Beal, Buck McCoy, F. H. Sanders, Jacon H. Wilder, Ed Crenshaw e muitos outros que trabalharam diretamente para preservação desses cães, NÃO POR COR, mas por seu gameness reconhecido mundialmente, por serem animais descendentes de famílias que se tornaram INVICTAS dentro do PIT (Williams Dogs), como de animais que marcaram época como o “THE GREAT ONE” Ch Ferguson Centipede, entre tantos outros animais com títulos dentro da seleção mais dura de todos os caninos, o pit. A lista dos nomes desses campeões são extensa, são dezenas.

Se formos usar nomes de grandes dog mens que usaram esses cães, passaremos dias debatendo sobre isso, pois todos os sangues tem a inserção desses animais “OFRN”, como o Pete Sparks que foi um dos homens que selecionou e preservou os animais Colby, mas teve muitos descendentes preservados e selecionados do Lightners Dogs, mas muitos outros usaram esses cães, Dan Runyon, Cole, Dawson, Bobby Payne… aproveitando e citarei um animal ícone do trabalho mais recente do Maurício Carver, a CARVER’S BLACK WIDOW, produção de um criador de “OFRN”, o Hanson. Se observarmos a genética dessa fêmea (PRETA), ela tem 75% do trabalho do Jim Williams, apenas 25% do seu avô paterno o TUDOR´s DIBO. Essa fêmea formou gerações e linhas de sangue, mas a maioria desconhece sua influência genética.

Imagino que o valor desses cães é demonstrado na busca e caravanas que se formaram na década de 60 para resgate desses animais. Sem dúvida o valor é muito bem escrito na história, mas esses cães se tornaram popurlamente percebidos, alguns dos fatores podem ser sugeridos, mas não saberemos ao certo. O que se percebe facilmente é que todos aqueles que começam a falar, estudar ou querer preservar esses cães, pensam em COR, e esse seria o grande erro e equívoco histórico em torno desses lendários animais.
Minha sugestão é que busquem preservar a raça pura, e a seleção funcional nos ajudará a ter sempre os melhores, não importa a época ou família que escolha criar, pois todos tem seus campeões, em todas as famílias encontraremos gamenhes, o que não podemos é continuar educando as novas gerações como se esses cães fossem só cor. A preservação que homens como Bob Wallace, Bob Hemphill, Dan McCoy, Jim Williams e tantos outros seria encontrar o “fogo intenso” que durante décadas preservaram esses cães.