The Pit Bull World, by Marcello Viktor 14/03/2020

Quando começamos a conversar e debater sobre essa fascinante raça, chamada American Pit Bull Terrier, precisamos pensar na grandeza e amplitude desse assunto. Estamos falando de uma raça mundialmente difundida e diversa em aspectos intrinsicamente distantes. Esse texto tem como objetivo trazer clareza sobre alguns mitos e inverdades criadas em torno desse combatente em várias partes do mundo, em especial no Brasil.

Escutei uma frase de Floyd Broudreaux que diz: “A água quanto mais perto da fonte, mais pura ela será”. Não quero debater sobre a natureza dessa afirmação, se é mercadológica ou ortodoxia na criação, mas essa frase me leva a entender que toda conversa, assunto ou algum conhecimento, tem uma fonte inspiradora. Se estou no meio de jovens proprietários, recém amantes da raça, não posso esperar deles aprofundamento histórico e de criação prática. Se estou no meio de criadores de exposição, que gostam apenas de conformação, estrutura e dinâmica, não posso me aprofundar em função com eles. Assim são as fontes de pesquisa e debate que devemos ter clareza ao se abordar qualquer assunto.

Observo pessoas taxando conceitos como absolutos, criando regras e normas em um universo amplo como o American Pit Bull Terrier, e de imediato eu começo a navegar em minhas memórias e pesquisas e percebo quanto equívoco existe nessas “redomas de vidros”, pois tornar o APBT preso a mitos e paradigmas é depreciar a sua história. Desprezível e pobre é o ser humano que é envolvido por vaidade e egoísmo, quer ser sempre o melhor, o mais entendido, o primeiro, o criador da roda. Os nossos animais romperam barreiras, conquistaram o mundo.

Hoje encontramos o APBT mais vivo do que nunca. Mesmo sendo perseguido, compreendido equivocadamente, desprezado e mau tratado, ele sobrevive com honra. Não importa o lugar, no mundo, onde ele se encontre, ele sempre será o melhor bulldog.

Temos os melhores cães do mundo, sim, temos a melhor raça do mundo, o cão mais versátil, o cão mais forte, o cão mais ágil, o cão mais atleta, o cão mais brigão, o cão mais disposto do mundo, sim, temos o American Pit Bull Terrier. Ele é tão bom, tão diferenciado, que o ser humano não é digno de tê-lo como melhor amigo.

Alguns homens na história tiveram acesso ao melhor material genético dessa raça, animais testados no fogo dos combates, uma seleção dura e que não permite erros e fraqueza. Esses mesmos homens esqueceram os cães e se desvirtuaram nos vícios, nas drogas, no jogo, no dinheiro, no roubo, no crime.

Outros homens abandonaram a pureza dos verdadeiros vencedores, dos bulldogs de honra e começaram a falsificar pedigree, mentir sobre genéticas, e até utilizar raças inferiores, se distanciaram dos combatentes e muitos não conhecem a sua história verdadeira (registro inicial), se desvirtuaram pela vaidade, comercio, fama, egoísmo.

E muitos homens e mulheres criam esses Bulldogs de honra como se fossem verdadeiros Poodles, esquecem de sua natureza, querem usurpar o que eles tem de melhor, os tratam com lacinhos e presentinhos, acham que a melhor dormida é em seus colchões, não sabem e não são líderes desses combatentes.

Poucos homens até conhecem profundamente quem são esses verdadeiros Bulldogs, só em ver sabem a diferença, mas alguns desses poucos homens não querem saber do seu bem estar,  dos seus direitos enquanto seres vivos, os deixam no frio, na neve, no calor, no sol, muitas vezes sem água e comida adequadas, mas com todo esses descaso, ainda assim, eles existem, sobrevivem.

Não tenho dúvida, temos a melhor raça do mundo. O American Pit Bull Terrier está pronto para mais um século, que venha os 500 anos de história. Nossa luta é encontrar o verdadeiros apaixonados por esses cães, e reuni-los mesmo que uns estejam nos Estados Unidos e outros no Brasil, Itália, China, México, Peru, Rússia, Portugal, África do Sul… Todos juntos para promover o verdadeiro APBT.

Não podemos esperar por entidades ou associações, quem faz a raça pura são os criadores, somos nós que vamos ter o privilégio de conviver e preservar o MAIOR COMBATENTE DO MUNDO CANINO, os bulldogs de honra, os APBT´s.

 

Version English

When you start talking and debating about this fascinating breed, called the American Pit Bull Terrier, you need to think about the breadth and breadth of this subject. We are talking about a race that is globally diverse and diversified in intrinsically distant ways. This text aims to bring clarity about some myths and untruths caused by this fight in various parts of the world, especially in Brazil.
Listen to a phrase by Floyd Broudreaux that says: “The water the closer to the source, the purer it will be”. I do not want to debate the nature of this statement, whether it is marketing or orthodox in creation, but this phrase leads me to understand that every conversation, subject or some knowledge, has an inspiring source. If you are not in the midst of approved young people, newcomers of the breed cannot expect further historical development and the creation of practices. If I’m not in the midst of exhibition creators, who just like conformation, structure and exhibition, I can’t go into the functions with them. Thus, they are sources of research and debate that must be clear when addressing any subject.
Watching people rating concepts as absolutes, creating rules and norms in a wide universe like the American Pit Bull Terrier, and immediately starting to browse my memories and research and realizing how much there is equivalent to “glass dome”, making APBT stuck with myths and paradigms is to depreciate its history. Despicable and poor is the human being who is surrounded by vanity and selfishness, he always wants to be the best, the most understood, the first, the creator of the wheel. Our animals have broken barriers, conquered the world.
Today he found APBT more alive than ever. Even though he is persecuted, misunderstood, despised and treated badly, he survives with honor. No matter where in the world he meets, he will always be the best bulldog.
We have the best dogs in the world, yes, we have the best breed in the world, the most versatile dog, the strongest dog, the most agile dog, the most athlete dog, the most tough dog, the most willing dog in the world, yes, we have the American Pit Bull Terrier. It is so good, so differentiated, that the human being is not worthy to be the best friend.
Some men in history have had access to the best genetic material of that breed, animals tested in the fires of combat, a tough selection that does not allow mistakes and weakness. These same men forget dogs and deviate from addictions, drugs, gambling, money, theft, crime.
Other men abandoned the purity of the winners of the truth, the bulldogs of honor and those who forged the pedigree, lied about genetics and even used inferior races, distanced themselves from the combatants and many do not know their initial history (they deviate from vanity ), commerce, fame, selfishness.
And many men and women breed these Bulldogs of honor as if they were true Poodles, a squirrel of their nature, they want to usurp or what they have best, they deal with bows and gifts, they think it is the best bedroom on their mattresses, they don’t know and they are not leaders of these fighters.
Few men even know deeply who these real Bulldogs are, so they know the difference, but some of these men do not want to know their well-being, their rights as living beings, they hear cold, snow, heat, not sun, often without water and food, but with all these descendants, they still exist, survivors.
I have no doubt, we have the best breed in the world. The American Pit Bull Terrier is ready for more than a century, and will reach 500 years of history. Our fight is to find or find true lovers of these dogs, and to gather the same ones that are in the United States and others in Brazil, Italy, China, Mexico, Peru, Russia, Portugal, South Africa … All together to promote the true APBT.
We cannot wait for entities or entities, the creators of a pure breed are the creators, we are the ones who have the privilege of coexisting and preserving the BIGGEST FIGHTER IN THE CANINE WORLD, the bulldogs of honor, the APBT’s.